fbpx

Minas inaugura mais duas usinas fotovoltaicas e assume a liderança nacional no setor

17 de novembro de 2020

O governador Romeu Zema participou, nesta segunda-feira (16/11), em Iraí de Minas, no Triângulo Mineiro, da inauguração de duas usinas solares fotovoltaicas da Alsol Energias Renováveis. Cada unidade possui 6.480 mil placas fotovoltaicas que, juntas, terão capacidade de gerar energia suficiente para abastecer 6 mil residências.

Com o início das operações das novas plantas, a Alsol já soma, apenas em 2020, seis empreendimentos em Minas Gerais, com investimentos da ordem de R$ 100 milhões. Somados, os seis parques possuem capacidade de geração de aproximadamente 26 MWp (megawatt pico), suficiente para abastecer 26 mil residências.

Durante pronunciamento, Zema destacou que o início das operações das duas novas fazendas solares está dentro dos esforços do Governo de Minas para a retomada da economia. “Desde o primeiro dia da nossa gestão, temos buscado trabalhar na diversificação dos investimentos, com ações que buscam desburocratização, agilização e simplificação de processos, sobretudo nas áreas fiscal e ambiental”, disse.

Liderança

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Minas Gerais lidera o segmento, com potência instalada de 736,9 MW, o que corresponde a 19,9% de toda a capacidade do Brasil. O Triângulo Mineiro é a região que concentra o maior número de investimentos, sendo Uberlândia o município de maior destaque.

O investimento também representa desenvolvimento sustentável para a região. Estima-se que os dois parques, somados aos quatro erguidos este ano em Uberlândia (Jardim II, Capim Branco III, Santa Rosa e Granja Marileusa I) evitarão a emissão de cerca de 2.930 mil toneladas de CO2 por ano, o equivalente ao plantio de mais de 11.730 árvores anualmente.

De Minas para o Brasil

O fundador e CTO da Alsol, Gustavo Malagoli, chamou atenção para os diferenciais dos empreendimentos. “Estamos falando da geração de energia limpa, renovável a um custo mais baixo em relação à energia hidrelétrica, por exemplo”, afirmou.

Além de modificar a matriz energética, beneficiamos o desenvolvimento econômico na região. “A Alsol está preparada para fazer parte da diversificação energética em todo o Brasil, com tecnologia desenvolvida em Minas Gerais”, enfatizou.

A energia gerada por essas duas novas fazendas solares será consumida, principalmente, por micro, pequenas e médias empresas dos setores do comércio e serviços.

Com informações da Agência Minas

Foto: Gil Leonardi / Imprensa MG

Receba nossas

novidades por

email