fbpx

Por que a Costa Rica entrou na OCDE e o Brasil não

▶ Por que a Costa Rica entrou na OCDE e o Brasil não? Entenda.

🟠 Quais vantagens de se estar na OCDE?

Estar na OCDE é muito positivo para o crescimento econômico. A organização exige que seus membros adotem boas práticas fiscais, de tributação, regulação, governança e prestação de serviços públicos.

Assim, há um grande estímulo para uma agenda reformista voltada ao crescimento econômico com geração de oportunidades, além de servir como um selo de qualidade para sinalizar que determinada nação adota boas práticas.

🟠 Costa Rica dentro. Brasil fora.

A Costa Rica conseguiu ingressar na OCDE, em maio de 2020. O Brasil, apesar de ser geopoliticamente muito mais relevante que a Costa Rica na América Latina e no mundo, segue esperando o ingresso após ter solicitado a adesão em 2017. Não há previsão de quando entraremos – e se entraremos.

🟠 Costa Rica na OCDE

Para ingressar na OCDE, um país precisa já se mostrar previamente comprometido com a agenda de reformas estruturais. A Costa Rica, por exemplo, vem de décadas de crescimento econômico com mudanças na direção correta, mas teve de intensificar seus esforços nos últimos 5 anos para ser aceita na OCDE.

Para se adequar à OCDE, a Costa Rica teve que aprovar 14 leis desde 2015. Os projetos envolveram um ajuste fiscal, a criação de uma autoridade para fortalecer a competição, a redução da interferência política nas estatais, regras para melhorar a educação, abertura comercial e muitos outros. O esforço conjunto está rendendo também frutos de crescimento: o país passou recentemente o Brasil em PIB per capita.

🟠 Costa Rica vs Brasil

Apesar de ainda ser um país em desenvolvimento, a Costa Rica ultrapassou o Brasil em muitos indicadores importantes.

PIB por habitante: $19,6 | $ 14,6 mil
IDH: 0,794 | 0,761
Facilidade para fazer negócios: 74º | 124º
Liberdade econômica: 68º | 144º
Resultados no PISA: 54º | 66º

🟠 E o Brasil?

O Brasil não tem avançado na mesma velocidade. Apesar da reforma da previdência aprovada em 2019, a situação das contas públicas continua se deteriorando. A produtividade do País, praticamente estagnada há 40, não dará sinais de que voltará a crescer no ambiente que temos atualmente. Para enfrentar esses problemas, a OCDE recomendou algumas reformas para o Brasil.

🟠 O que devemos fazer?

Reformas recomendadas pela OCDE:

✔ Tornar o Banco Central independente
✔ Manter o teto de gastos
✔ Realizar uma reforma administrativa
✔ Flexibilizar o orçamento desvinculando gastos obrigatórios
✔ Viabilizar a execução de sentenças em segunda instância
✔ Combater o desmatamento ilegal pelo fortalecimento da fiscalização
✔ Simplificar e agilizar a abertura de empresas e a concessão de licenças
✔ Substituir de todos os impostos sobre consumo pelo IVA
✔ Ampliar a educação infantil para as famílias de baixa renda
✔ Ampliar o ensino profissional, alinhando-o ao mercado de trabalho

Após avançar com as reformas, o País não apenas voltará a crescer e gerar oportunidades, como também terá passe livre para entrar na OCDE e colher os benefícios relacionados a estar no grupo. Esse foi o caminho que a Costa Rica trilhou, esse é o caminho que o Brasil também deve trilhar. Ver menos

Receba nossas

novidades por

email