fbpx

Adriana Balthazar apresenta projeto que institui a política estadual de prevenção ao abandono e evasão escolar no Rio de Janeiro

12 de julho de 2021

No último ano, segundo dados do Instituto Datafolha, 4 milhões de alunos abandonaram a escola. O ex-alunos afirmaram que a falta de acesso às aulas remotas e a pobreza são os principais motivos para o abandono. O estudo reflete a realidade de pessoas com idades entre 6 e 34 anos: crianças e adultos que foram impedidos de continuar a construção do próprio futuro.

Com a justificativa de contenção da propagação do Coronavírus, as escolas, referências de acolhimento, fecharam as portas. Ainda que inicialmente necessária, tal medida foi levada a extremos de tempo, em especial quando comparamos aos países mais desenvolvidos. A alternativa traçada, de ensino à distância, passou longe de ser inclusiva, uma vez que desconsiderou os dados de desigualdade social. Como resultado, tivemos um bloqueio à Educação e às possibilidades de acesso a uma vida melhor.

O levantamento revela altos índices de abandono no ensino superior (16,3%.), no ensino médio (10,8%) e no ensino fundamental (4,6%). Números que revelam milhões de jovens sem qualificação e que terminarão, na melhor das hipóteses, em trabalhos subaproveitados e mais próximos ao desemprego. Segundo os pesquisadores, a Evasão Escolar tem o custo de R$ 214 bilhões aos cofres públicos. No entanto, o preço do impedimento à Educação é muito mais alto, uma vez que reflete a privação de um dos serviços essenciais que formam as nossas crianças e adolescentes. Sem escola e sem faculdade, o futuro está comprometido. Salas de aula vazias geram o aumento do desemprego, da criminalidade, da fome, da desigualdade e uma clara privação da liberdade.

Diante da situação, a deputada do NOVO no Rio de Janeiro apresentou o Projeto de Lei Nº 4.460/2021, que institui a política estadual de prevenção ao abandono e evasão escolar e que define princípios e ações para a formulação e implementação de políticas públicas com o objetivo de garantir a permanência e o retorno sadio de crianças e adolescentes às salas de aula. Além de não gerar custo adicional aos cofres públicos, o Projeto traz de volta a preocupação que nunca deveria ter deixado nossos caminhos: o direito essencial à Educação. Sem Educação não há liberdade, e sem liberdade, não há futuro.

Informações: gabinete da deputada Adriana Balthazar

Foto: Prefeitura Municipal de Macaé

Receba nossas

novidades por

email