fbpx

Por que não devemos celebrar o Golpe de 1964

Por que não devemos celebrar o Golpe de 1964

A ditadura militar que existiu no Brasil entre 1964 e 1985 deixou muitas marcas na sociedade brasileira. Alguns lembram do período com tristeza, outros até com certo saudosismo. Mas, afinal, qual foi o real legado da ditadura militar no Brasil?

▶️ Educação

O Brasil foi o país da América Latina que menos avançou em escolaridade da população. Os brasileiros ganharam apenas 0,82 anos de estudo ao longo de 21 anos de ditadura. Em comparação, nos primeiros 20 anos de democracia, a escolaridade avançou 2,71 anos, mais de 3 vezes mais. A razão para essa estagnação eram as baixas taxas de matrícula e o pequeno espaço que a educação tinha no orçamento militar.

▶️ Economia

⚫ Inflação e falta de transparência:

No governo militar, a inflação foi de 92% ao ano em 1964 para 242% ao ano em 1985.

A má gestão das contas públicas e da moeda levou o país ao inferno inflacionário, que corroía o poder de compra da população.

O orçamento público não era conhecido pela sociedade, já que boa parte dos gastos eram financiados pela conta movimento do Banco do Brasil, um instrumento criado pelos militares para bancar despesas com impressão de dinheiro.

⚫ Dívida externa:

Entre 1964 a 1985, a dívida externa brasileira subiu de 16% do PIB para 47% do PIB. O governo militar apostou no investimento em grandes projetos financiados com dívidas em moeda estrangeira. Quando veio a crise da dívida nos anos 80, a situação ficou insustentável. Em 1985, o Brasil transferia mais de 5% da própria produção ao exterior apenas para pagar os juros da dívida. Dois anos depois, veio a moratória.

⚫ Modelo estatizante e fechado:

O estado foi agigantado: 47 estatais criadas e muito protecionismo. Para tentar produzir no Brasil tudo que fosse possível, os militares criavam empresas públicas e protegiam as privadas da concorrência externa. No fim, o País se tornou a economia mais fechada do mundo, com importações além de combustível somando apenas 4% do PIB. Sem comércio, o Brasil ficou para trás, com pior tecnologia, produtos caros e de qualidade inferior.

▶️ Autoritarismo

⚫ Assassinatos e desaparecimentos:

Há 434 mortes e desaparecimentos atribuídos à ditadura militar. Ao contrário do que muitos imaginam, a brutalidade não atingia apenas pessoas ligadas a movimentos revolucionários. Por exemplo, a primeira pessoa assassinada pelo regime foi um militar aviador chamado Alfeu de Alcântara Monteiro, que se recusou a apoiar o golpe.

⚫ Tortura e censura:

Ao longo da ditadura, milhares de pessoas foram torturadas, na maioria das vezes para extrair confissões. Algumas vezes, até crianças.

A censura se tornou política de estado, restringindo notícias indesejadas ao regime, como sobre o surto de meningite em 1971. Filmes, livros e músicas foram banidos por motivos totalmente arbitrários.

⚫ Perseguições e exílios:

Muitas pessoas cujas atividades eram consideradas “subversivas” tiveram que deixar o Brasil durante a ditadura. A maioria desses nunca havia tido qualquer ligação com a luta armada, mas ainda assim eram considerados cidadãos indesejados.

▶️ Ditadura não

Países que deram certo resolvem seus problemas através da democracia, do Estado de Direito e com instituições que respeitem o cidadão. É o caso dos EUA, Austrália, Canadá, países europeus e de muitos outros. O Brasil já experimentou o autoritarismo diversas vezes, e nunca deu certo. Ditadura não é, nunca foi, e nunca será a solução.

Receba nossas

novidades por

email