Guilherme da Cunha

Guilherme da Cunha

Deputado Estadual eleito(a) com 24.792 votos

Minas Gerais

Guilherme da Cunha é nascido em BH, graduado em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pós-graduado em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas. Atua há 12 anos como advogado.

 

Assumiu, em 2019, seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) onde foi escolhido vice-líder de governo pelo governador Romeu Zema. 

 

Como parlamentar, tem trabalhado incessantemente pela desburocratização do Estado de Minas Gerais, se dedicando à melhoria do ambiente de negócios para inovação e investimento no Estado, além de apoiar os projetos do governador Romeu Zema no legislativo, compromissado com o sucesso do governo. Como membro efetivo da Comissão de Constituição e Justiça, se destaca na defesa pela livre iniciativa, onde conduz a relatoria de diversos projetos importantes para o Estado, como o da Reforma Administrativa. É idealizador e coordenador geral da Frente Parlamentar pela Desburocratização, uma iniciativa que conta com 41 deputados, com o objetivo de simplificar o ambiente de negócios e facilitar investimentos em Minas Gerais. Em julho de 2019 teve sua primeira lei sancionada. A Lei 23.385/19, fruto de projeto apresentado em co-autoria com o deputado Sávio Souza Cruz (MDB), traz transparência nos critérios de concessão de incentivos e benefícios fiscais, e também igualdade de oportunidade para todos os empreendedores do estado terem acesso aos benefícios já existentes. 

 

Em conjunto com o deputado federal Tiago Mitraud, desenvolveu o programa Liberta Minas, que, entre outras iniciativas em prol da liberdade e da igualdade de oportunidades, lançou um Edital Público de Emendas Parlamentares, com o objetivo de selecionar projetos para receberem recursos em 2020. No total, o edital recebeu 1.973 inscrições, de cinco áreas diferentes, enviados por 357 municípios.

 

Guilherme da Cunha também é idealizador do movimento Mais Liberdade Já, uma luta à favor da livre iniciativa no transporte intermunicipal de ônibus em Minas Gerais e contra os monopólios do setor.

 

Antes da política, foi criador e ex-presidente do Escritório Legal, organização não-governamental que prestava assistência jurídica para população de baixa renda da Capital mineira, e destinava seus ganhos para manter uma escola que atende crianças com deficiência. Criou, também, um grupo de advogados voluntários chamado Movimento Vigilância Cidadã, que fiscaliza as contas públicas para combater atos de desvio, desperdício ou má gestão.