JOAQUIM-FANTON
Menos impostos, melhores serviços. A cidade que quero é simples assim. Menos dinheiro mal gasto, mais para investir em educação, transporte e saúde. Precisamos de uma gestão firme e transparente sobre o orçamento. Eliminar desperdícios, perdas e desvios, focar no prioritário. Deixar de gastar no que não é importante. Esse é o caminho.

Sobre

Quem sou

Sou engenheiro, 46 anos, casado com a Renata e pai do Tiago. Moro no Estado desde 1982 e na cidade desde 1994. Sou formado pela UNICAMP, MBA pela ESPM e atuo há 23 anos na indústria de TI, atuando em empresas como TIVIT, SAS Institute, Oracle, CGI e Software AG. Fui empresário por 8 anos, sofri na pele os castigos e barreiras que o Brasil impõe a quem ousa empreender. Sou um entusiasta da aplicação da tecnologia em soluções de governo eletrônico.

Por que quero ser candidato

Estava cansado de só me indignar diante dos problemas do nosso país. Tinha vontade de me engajar na política, de fazer algo para mudar, mas não via opções partidárias nas quais acreditasse. Tínhamos muitas siglas, mas nenhum partido de verdade. Entrar sozinho numa estrutura política corrompida seria loucura ou energia perdida. O Novo mudou isso e representa um projeto no qual acredito e do qual quero participar. Sei que posso ajudar a levar esse projeto adiante.

O que vou fazer

Nosso Estado é inchado, caro e ineficiente. Muito dinheiro mal gasto, pouco para investir em educação, transporte e saúde. Para ter fôlego para investir no que é prioritário, é preciso identificar e eliminar ineficiências. Minha prioridade será combater a corrupção, desvios, projetos sem sentido e desperdícios, empregando a tecnologia da informação. A TI é usada com sucesso em todo mundo como uma poderosa aliada na promoção da eficiência, da melhoria da comunicação e da transparência, mas no Brasil ainda é muito pouco empregada no setor público.

Outros candidatos: